10 jogos de luta que mereciam um remake

Eidy Tasaka / 23 de janeiro de 2017 / Top 10

Quem assistiu à última apresentação da Nintendo e conferiu os detalhes sobre o Switch e seu line-up de jogos, viu que Street Fighter II será relançado pela enésima vez.

Justiça seja feita, é bem verdade que a Big N deve bastante ao título de luta da Capcom, já que o port de SFII foi um dos responsáveis pelo boom de vendas do Super Nintendo. Aliás, você sabe quais são os dez maiores RPGs do SNES?

Mas e quanto às outras franquias? Listamos aqui dez jogos que mereciam um lugarzinho ao sol e uma nova versão!

10. Battle Arena Toshinden

Toshinden foi um dos precursores dos jogos de luta em 3D, e ainda recebe o mérito por ter introduzido o passo lateral, feito para desviar de ataques inimigos.

Lançado inicialmente para PS1, Battle Arena Toshinden foi portado mais tarde para Saturn.

Foram lançadas algumas continuações, sendo a última delas Toshinden 4 (lançado em 1999).

9. Tobal

Um jogo de luta lançado pela Square, com personagens criados por Akira Toriyama (o autor de Dragon Ball). Tobal No. 1 pegou todo mundo meio que de surpresa, e foi até que bem, a ponto de receber uma continuação. Pena que ela só foi lançada no Japão.

Ah! Na caixinha de Tobal, vinha junto um disco com a primeira demo de Final Fantasy VII!

8. Cyberbots

Robôs gigantes em um jogo de luta 2D, com aquela qualidade gráfica habitual da Capcom? É claro que queremos de volta, com ou sem os gráficos tridimensionais! Foi daqui que surgiu Jin Saotome, personagem já velho conhecido e participante dos crossovers da Capcom.

Cyberbots já apareceu aqui no site, no Top 10 de participações especiais nos jogos de luta, com Zero Gouki, um robô que tem a forma e os golpes de Akuma.

7. Project Justice

Se você já teve ou jogou Dreamcast alguma vez na sua vida, tenho certeza de que é mais um dos que sentem saudades de Project Justice.

A continuação de Rival Schools trouxe um elenco de 29 personagens, incluindo um nadador, um jogador de futebol e várias outras figuras do mesmo naipe, para muita ação com gráficos tridimensionais.

Há anos os fãs suplicam à Capcom por um remake ou port do jogo para as plataformas mais novas. Desde os tempos do PlayStation 2, só para vocês terem uma ideia.

6. Fighter’s History

Polêmico, Fighter’s History foi lançado em 1993 para os Arcades e portado para o SNES no ano seguinte. A Data East, na época, teve que brigar com a Capcom nos tribunais, sob alegação de que o seu jogo era uma cópia de Street Fighter II, inclusive no design dos personagens. No fim das contas eles acabaram se safando, mas as similaridades existem de fato!

A série recebeu ainda mais duas continuações: Fighter’s History Dynamite (Neo Geo, 1994) e Fighter’s History: Mizoguchi Kiki Ippatsu!! (lançada só para o Super Famicom, em 1995).

Hoje, passados tantos anos desde o seu lançamento, vale jogar pela curiosidade e pelas risadas. Uma versão nova disso até que cairia bem, mas não deve rolar, já que a Data East decretou falência em 2003.

5. Last Blade

Mais um jogão de luta que está para completar 20 anos em 1997! Last Blade reunia lutadores do período Bakumatsu para duelos de espada, com toda a pompa da história japonesa.

Em 1998 rolou uma continuação, mas ficou nisso. Com gráficos de tão boa qualidade e uma temática rica, é evidente que Last Blade merecia receber novas versões!

4. World Heroes

Nunca chegou a fazer o mesmo sucesso das demais séries da SNK, mas nem por isso estamos diante de um título ruim. World Heroes promoveu a reunião de vários guerreiros de diferentes épocas e localidades do globo. Tem viking lutando com ninja, tem capitão de navio pirata, chinês lutador de Kung-Fu, feiticeiro africano mascarado… Uma verdadeira salada de frutas, mas que tinha ideias bastante originais. Lembra do modo Survival Match? Então, vai dizer que não merece um remake?

3. Fatal Fury / Art of Fighting

Por mais triste que seja, é bem verdade que a SNK largou de mão as suas franquias menores nos últimos tempos, dedicando-se exclusivamente às edições nada regulares de The King of Fighters.

A última vez que os lobos atuaram sozinhos foi em Garou: Mark of the Wolves, de 1999 (não vamos considerar máquinas de pachinko, ok?). No título, Terry Bogard aparecia com um visual já mais velho, ao lado do filho de Geese Howard, Rock. Para Art of Fighting, a coisa é ainda mais séria, já que são quase 24 anos sem um novo título.

PS: Deixei os dois juntos na lista porque ambos estão na geladeira pelo mesmo motivo: The King of Fighters.

2. Capcom vs SNK

Na época do lançamento, o release do jogo parecia ser muito mais uma brincadeira de primeiro de abril que uma realidade vindoura. Reunir Ryu, Ken, Chun-Li e toda a galera de Street Fighter para bater de frente com os personagens de Fatal Fury, Art of Fighting e The King of Fighters? Mas nem nos sonhos mais molhados dos adolescentes da época!

Os gráficos eram absurdamente bons, com efeitos de luz que beiravam a perfeição.

O jogo fez tanto sucesso que recebeu uma continuação, além de uma nova versão feita pela SNK, nos moldes de KOF e outros jogos da franquia. Esse deixou saudades…

1. Darkstalkers

Um dos jogos de luta mais bonitos de todos os tempos, e também dos mais originais. Já estamos com saudades de Dimitri, Jedah, Donovan, Lilith, Sasquatch e todos os outros personagens. Inclusive, já pensou como seria uma nova versão de Darkstalkers com essa engine de Street Fighter V?

Vale lembrar que o último jogo inédito da franquia foi Darkstalkers 3: Lord of Vampire, lançado em 1997, vinte anos atrás.

Compartilhe com a galera:

FacebookTwitterGoogle+

Leia mais sobre: , , , , , , , , , , ,


Leia a Revista Jogo Véio

Revista Jogo Véio - Gratuita, pra ler no PC, no Tablet e no Smartphone

Junte-se ao Asilo