Breath of Fire IV (PS1) e a dualidade de Yorae

Lucas Rodrigues / 3 de abril de 2017 / Análises, PS1

Capa do Breath of Fire 4

“Vós não conheceis o poder daquilo que quereis destruir” é uma das frases mais impactantes pronunciadas pelo sanguinário imperador recém despertado de seu sono que durara anos. Em Breath of Fire IV, por um erro do destino, este antagonista não pôde assumir sua forma completa e precisará encarar uma incansável jornada para encontrar a sua outra metade (e aqui, não estamos falando de uma esposa para lhe acompanhar ao trono).

Acompanhe a seguir alguns dos segredos seculares por trás do quarto episódio de uma das franquias mais épicas já desenvolvidas.

A primogênita Wyndiana desaparecida

A busca pela princesa perdida é novamente o destaque de um clássico dos videogames, como visto anteriormente em Zelda, Mario e até em Earthworm Jim. Contudo, desta vez não se trata apenas de uma aventura épica de amor e heroísmo. A trama começa quando o guerreiro Cray, acompanhado da herdeira caçula de Wyndia, Nina, são atacados por um dragão enquanto se locomovem em direção à cidade de Synesta, onde esperam encontrar informações sobre Elina, irmã mais velha de Nina e amada de Cray, que desapareceu em uma missão diplomática.

Com o seu sandflier (espécie de barco utilizado para se locomover pela areia) danificado, Nina resolve ir atrás de peças para repará-lo, enquanto seu companheiro permanece como vigia. Ela apenas não esperava encontrar um homem nu pelo caminho que mudaria totalmente sua vida (não por estar nu, obviamente) e o destino de sua jornada.

O renascimento de Fou-Lu

Há muitos anos, o império encontrava-se em guerra civil. Para resolver o problema, o deus Yorae foi invocado ao mundo humano com o objetivo de trazer a paz novamente. Entretanto, Yorae não assumiu sua forma completa, sendo dividido em dois corpos e separado em diferentes épocas, evitando que as duas partes se encontrassem.

A nova divindade incompleta foi denominada Fou-Lu. Seu plano era unificar os continentes e se tornar o novo imperador. Após uma década de lutas, o continente à oeste foi dominado e se tornou o império Fou, sendo atacado constantemente pelo continente à leste. Mesmo com sua força inabalável, Fou-Lu não teve a oportunidade de concretizar o processo de unificação, pois entrou em um sono profundo por ainda não ter encontrado sua outra metade.

E assim Fou-Lu permaneceu por vários anos. A guerra continuou. Cidades foram dizimadas, famílias destruídas, milhares de sonhos despedaçados. Aparentemente, não haveria a menor chance de orientais e ocidentais se entenderem novamente. 

Eis que de alguma maneira, a segunda metade de Yorae chega à Terra, despertando Fou-Lu de seu sono e dando-lhe outra chance de unificar todos os povos, que permanecerão sob seu domínio.

A outra metade de um deus

Assim como o Yin-Yang possui duas partes com a mesma forma e características opostas, o carismático Ryu representa a parte boa do deus Yorae. O jovem amnésico recém-chegado à Terra não conta com lembrança alguma a não ser o próprio nome. Persuadido a ajudar a bela princesa Nina, o cavalheiro irá se meter em dezenas de embaraços e descobrirá um pouco sobre sua origem, além de entender sua natureza divina.

O confronto com a sua metade maligna será inevitável, visto que é o objetivo principal deste. Mas antes, Ryu conhecerá a fonte de seus poderes, ampliando-os consideravelmente antes da árdua batalha que o espera. Os deuses (e grande parte dos humanos) estão do seu lado, o que lhe trará uma vantagem exorbitante nesta caminhada.

A era dos dragões

Alguns deles são grandes, outros pequenos. Alguns possuem garras, outros não. Alguns voam, enquanto outros mal conseguem se locomover de tão grandes e pesados. Essas criaturas que dividem o planeta com os humanos podem ser encontradas nas mais variadas formas e cores, além de proporcionar-lhe os mais variados tipos de poderes (e grandes responsabilidades também, como diria o Tio Ben).

Dragões, no mundo de Breath of Fire IV, são seres divinos com poderes incomparáveis. São verdadeiros deuses. Se você já jogou outros jogos da franquia, com certeza sabe que Ryu pode assumir a forma de uma dessas tão aclamadas criaturas.

Fique de olhos abertos durante todo o tempo, pois nunca se sabe onde estarão escondidas as gemas, que trazem novas formas para Ryu (e Fou-Lu) assimilar em batalha, e os dragões, que lhe garantirão novas habilidades de evocação.

Confira quais são os poderes divinos disponíveis no jogo:

Formas de dragão – Ryu:

  • Aura
  • Habilidades: Dragonbreath, Flame Strike, Hwa, Rejuvenate, Barrier
  • Kaiser
  • Habilidades: Kaiserbreath, Aura Smash, Hwajeh, Ahryu P’ung, Patoh Pah, Resurrect, Sanctuary
  • Obs.: o Kaiser somente poderá ser controlado após as 7 evocações serem adquiridas. Sem elas, Kaiser apenas atacará normalmente ou usará o Kaiserbreath, por conta própria.
  • Wyvern
  • Habilidades: Gigaflame, Flame Strike, Hwa, Jeh, Might
  • Behemoth
  • Habilidades: Meteorstrike, Searing Sand, Patoh, Chi Patoh, Counter
  • Myrmidion
  • Habilidades: Metastrike, Windstrike, P’ung, Nah P’ung, Spiritblast
  • Mutant
  • Habilidades: Stardrop, Snap, Chlorine, Sleep, Silence

Formas de dragão – Fou-Lu:

  • Astral
  • Habilidades: Eraser, Frost Strike, Wild Swing, Bing, Death
  • Tyrant
  • Habilidades: Dark Wave, Aura Smash, Pa Bing’ah, Ahryu P’ung, Patoh Pah, Death, Sanctuary
  • Serpent
  • Habilidades: Waterspout, Frost Strike, Bing, Bing’ah, Snap
  • Behemoth
  • Habilidades: Meteorstrike, Searing Sand, Patoh, Chi Patoh, Counter

Evocações:

  • Rainstorm – obtida após uma conversa com o dragão do vento, P’ung Ryong;
  • Mud Flow – converse com o dragão da lama, Ny Ryong;
  • Healing Wind – Cho Ryong, o dragão da grama, lhe entregará essa;
  • Onslaught – converse com o dragão da areia, Sa Ryong;
  • Holy Circle – o dragão das árvores, Sy Ryong, lhe dará esta habilidade;
  • Flood Tide – o dragão dos mares, Hae Ryong, é quem você deve encontrar;
  • Fulguration – sabe-se pouco sobre esse dragão, apenas que seu elemento é a pedra, e que a evocação também é garantida ao conversar com ele.

Obs.: não revelaremos aqui a localização dos dragões para tornar sua aventura mais emocionante.

Os melhores atores coadjuvantes

Além dos já citados Ryu, Nina e Cray, três outros personagens acompanharão-lhe em sua busca pela glória.

O primeiro que cruzará o seu caminho é uma figura bastante curiosa. Seu nome é Ershin, e trata-se de uma criatura robótica. Sua identidade é descoberta posteriormente, revelando a poderosa deusa Deis, que chegou à Terra assim como Ryu e Fou-Lu, mas não pôde assumir o corpo de um mortal, sendo aprisionada em uma armadura de metal extremamente carismática.

O cão mercenário Scias, com sua afiada espada e incrível agilidade, se juntará ao grupo a fim de vigiar Cray e seus amigos após um pequeno incidente. Com o tempo ele abraçará a mesma causa de seus companheiros. Poucas palavras e muita bebida (algo que foi censurado na versão americana) fazem parte de sua natureza.

A neta adotiva de um general do império completa nosso time de heróis. Com ordens de capturar a segunda metade de Yorae, a destemida jovem Ursula acompanhará Ryu e seus amigos através de sua jornada, sempre com uma pontinha de desconfiança.

Pros

Será que há algo a destacar além do excelente enredo, trilha sonora excitante e gráficos impecáveis deste jogo? Claro que sim!

Breath of Fire IV ainda conta com um ótimo sistema de batalhas. Você poderá escolher a formação dos três personagens principais no seu time, enquanto os outros três assumem uma segunda linha de combate pronta para entrar em ação a qualquer momento. Você poderá trocar os seis personagens de posição quando quiser durante uma batalha, sendo uma boa alternativa para modificar suas táticas quando um chefe pegar-lhe de surpresa, ou até mesmo quando alguém do seu time ficar sem HP ou AP.

Além disso, você será o gestor de uma cidade de duendes, podendo atingir resultados incríveis com retorno garantido para sua jornada.

Gosta de pescar? Compre algumas iscas, uma vara de pescar e escolha um lugar no mapa. Peixe é muito bom para a saúde e lhe trará ótimos benefícios dentro e fora dos campos de batalha, além de serem “colecionáveis”.

Não se esqueça de viajar, conhecer muitos mestres e escolher aquele que destacará os melhores atributos para cada um de seus personagens. Você também poderá aprender habilidades com eles (e com certos monstros também, bastando estar em modo de defesa durante uma batalha).

Mais pros: a dualidade entre personagens principais

Contras? Aqui não há espaço para isso!

Poucos jogos trazem a sensação de experimentar as dificuldades de ser um bom vilão, e este é um deles. Grande parte da jornada de Fou-Lu será controlada pelo jogador. Obviamente, você não poderá afogá-lo ou jogá-lo do primeiro precipício que encontrar tentando evitar que ele encontre Ryu, mas a satisfação de acompanhar o imperador pela sua suposta retomada ao poder é garantida.

Qual o destino do império? Onde está Elina?

Quer saber se o império será reunificado e Elina voltará para casa? Aqui você não encontrará as respostas (nada de spoilers para o leitor). Cabe a você desvendar todos os segredos contidos neste renomado título da era 32 bits. A única coisa que podemos garantir é que o confronto entre as metades de Yorae acontecerá, e, você com certeza será surpreendido.

Como em todos os outros jogos, é possível extrair valiosos ensinamentos e trazê-los para a vida real. Não deixe de perceber como Ryu nos mostra que sua origem não define quem você é. Mesmo sendo parcialmente deus, um mercenário ou uma princesa, suas escolhas é que definirão seu destino. Você é média das pessoas que convive; portanto, faça suas escolhas sabiamente.

Vídeo

Breath of Fire IV – Gameplay – Fonte: World of Longplays

Compartilhe com a galera:

FacebookTwitterGoogle+

Leia mais sobre: , , , , , ,


Leia a Revista Jogo Véio

Revista Jogo Véio - Gratuita, pra ler no PC, no Tablet e no Smartphone

Junte-se ao Asilo