Home Colunas QG da Sora Dos games para os cinemas – As mudanças de Lara Croft ao longo dos anos

Dos games para os cinemas – As mudanças de Lara Croft ao longo dos anos

0

Olá pessoal, tudo bem? Aqui é a Sora, e hoje vamos falar de Tomb Raider. Mais especificamente sobre todo o caminho que a franquia percorreu até chegar ao que vemos em Tomb Raider: A Origem, o novo filme estrelado por Alicia Vikander lançado no dia 15 de março de 2018.

Quem é Véio certamente já ouviu falar muitas e muitas vezes de Lara Croft, uma arqueóloga linda e corajosa que arrancou muitos suspiros dos gamers desde o lançamento do seu primeiro jogo em 96. Bom, não vou me estender muito apresentando a personagem, já que temos um excelente post do Lucas Rodrigues aqui no site que já traz uma apresentação dela.

O meu objetivo com este post é falar um pouco sobre o processo de evolução da personagem no cinema e nos jogos. Afinal, quem jogou apenas os Tomb Raiders clássicos e agora vê essa nova Lara interpretada pela Alicia Vikander, com certeza vai ficar se questionando: “Quem é essa aí?”

Reboots e mais reboots

Em 2016 Tomb Raider completou 20 anos com um total 11 jogos lançados (16 com os spin-offs), e agora já temos um título novo anunciado para setembro de 2018, Shadow of the Tomb Raider.

Não é pouca coisa, né? Então já era de se esperar que a franquia fosse sofrer modificações ao longo de todo esse tempo. Além de ter um universo à parte nos cinemas, quadrinhos e animações, os jogos já passaram por dois reboots que trouxeram várias modificações, seja no estilo de jogo, no visual e personalidade da Lara e até mesmo na história.

Ou seja, quem vê o reboot hoje em dia certamente vai estranhar, apesar de essa não ser a primeira vez que a franquia ganha uma linha do tempo alternativa. Mas como chegamos a uma Lara tão diferente?

Em 1996 surgia Lara Croft, uma arqueóloga Britânica que foi deserdada por seus pais após decidir abandonar o noivado com o Conde de Farringdon para viver das suas aventuras. Forte e destemida, ela conquistou muita notoriedade no meio desvendando grandes mistérios e encontrando artefatos perigosos, que muitos até duvidavam da existência. Na abertura do primeiro Tomb Raider, descobrimos que sua última façanha antes de procurar pelo Scion foi desvendar a existência do Pé Grande.

Lara Croft em Tomb Raider 1
Lara Croft em Tomb Raider 1

Mesmo com uma quantidade bem limitada de polígonos (que acabou obrigando-a a deixar de lado a sua famosa trança), Tomb Raider entregou uma bela aventura passada em várias localidades inóspitas como uma cidade escondida em meio às montanhas do Peru, pirâmides egípcias e um Vale Perdido onde ainda viviam dinossauros.

Entre os inimigos havia velociraptors, ursos, crocodilos e até seres mutantes de Atlantis.  E tudo isso sendo protagonizado por uma mulher, Lara Croft. Ela passava por todos os obstáculos sem precisar de ninguém e realmente não tinha medo de nada, ninguém precisava salvá-la. E isso cativou muita gente, tanto que no ano seguinte já estava sendo lançado Tomb Raider 2, com gráficos melhores, fases maiores e mais variedades de cenários. Agora a aventura começava nas Muralhas da China e passava por um navio afundado no oceano e um monastério na China.

No segundo jogo já tivemos a introdução de veículos e combates aquáticos, aumentando ainda mais as possibilidades de desafios para Lara Croft, que continuava tão destemida quanto antes, mas agora com uma pitada a mais de sensualidade.

A lancha em Veneza é o primeiro veículo que controlamos em Tomb Raider

A partir daí Tomb Raider seguiu por bons anos de aventuras, acompanhando os moldes dos primeiros jogos. E apesar da história de origem da Lara ter sido contada por manuais e até mesmo em revistas da época, foi em 99 que pudemos acompanhar um pouco da vida da jovem arqueóloga.

Em Tomb Raider: The Last Revelation a primeira fase é um tutorial no qual Lara acompanha o seu instrutor Werner Von Croy no templo Angkor Wat situado no Camboja. E essa é a primeira vez que vemos uma aventura (breve, mas marcante) da jovem Lara Croft, fato que se repetiu no jogo posterior (em um trecho bem assustador, inclusive).

Lara Croft encontra a sua icônica mochila em Tomb Raider: The Last Revelation

Estrela de cinema

Com o sucesso estrondoso dos jogos, logo a musa dos games ganhou uma representação nos cinemas. Estrelado por Angelina Jolie, Lara Croft: Tomb Raider foi lançado em 2001.

Apesar das influências fortíssimas dos jogos, o longa mudou um pouco a história de Lara. Dessa vez ela havia seguido o caminho da arqueologia por influência do seu pai, o renomado arqueólogo Richard Croft, que foi dado como morto após ficar desaparecido por muitos anos.

No longa vemos Lara Croft em busca dos dois pedaços do Triângulo da Luz, um poderoso artefato que dá o poder de controlar ou destruir o planeta. O que ela não sabia é que os Illuminati também estavam atrás de tamanho poder.

Angelina Jolie como Lara Croft

Como é baseado nos jogos antigos, o filme realmente retrata uma Lara Croft bem femme fatale, habilidosa com armas e com grandes conhecimentos em arqueologia. A opinião dos fãs sobre os primeiros filmes de Tomb Raider ainda é bem dividida, mas o que não podemos negar é que o longa conseguiu levar para os cinemas a essência da franquia com duas boas aventuras de Lara Croft.

Era da Crystal Dynamics

A era clássica de Tomb Raider se encerrou com o não tão adorado Angel of Darkness em 2003. A Core Design, estúdio responsável pelo desenvolvimento dos primeiros jogos, foi fechada em 2006 e a Eidos passou a franquia para as mãos da Crystal Dynamics.

Em Tomb Raider: Legend, de 2006, conhecemos uma nova Lara que passou não só por uma reformulação visual, mas também teve mudanças na personalidade e na história. Para esta Lara, a paixão por aventura não era tudo, ela também tinha um sentimento de culpa pelo desaparecimento de sua mãe, Amelia Croft, após um acidente de avião em meio aos Himalaias, no Nepal.

Tomb Raider: Legend

Assim como a Lara Croft dos filmes de 2001, esta versão da personagem estudou arqueologia com o seu pai Richard Croft, um arqueólogo renomado e Conde de Abbingdon.

Além de mudanças na jogabilidade, que agora tinha uma movimentação mais fluída e com novos truques, a Crystal Dynamics também introduziu novos personagens à história como os ajudantes de Lara, Zip e Alister Fletcher, além de ter trazido de volta personagens antigos como Jaqueline Natla e a Doppelganger.

O aclamado Tomb Raider Anniversary da Crystal foi muito mais do que um simples remake, ele trouxe para essa nova geração do jogo a primeira aventura de Lara, aproveitando os novos recursos e fazendo ligações com a nova linha do tempo. Imagina se tivessem seguido com os jogos posteriores? Um sonho bem distante, mas que vem sendo realizado graças a fãs como o Nicobass, que está desenvolvendo um ótimo remake de Tomb Raider 2 nos moldes de Legend.

A Crystal Dynamics vem sendo a responsável pelo desenvolvimento de Tomb Raider desde então, tendo feito até mesmo os últimos spin-offs. Porém, os jogos ainda teriam um novo rumo a seguir.

A Sobrevivente

Em 2009, um ano após o lançamento de Tomb Raider: Underworld, a Eidos foi comprada pela gigante Square Enix, se tornando uma subsidiária da mesma.

E não demorou para começar a surgir artes conceituais de um novo jogo da franquia chamado Ascension. Pelas imagens, já era possível ver o quanto as coisas seriam diferentes. Nas artes conceituais víamos Lara andando sobre cavalos, atirando com arco e flecha, enfrentando monstros gigantes no maior estilo Shadow of the Colossus e protegendo uma garotinha de 6 anos chamada Izumi.

Mas não foi bem esse o rumo que a franquia seguiu, não é mesmo? No dia 6 de dezembro de 2010 a Square Enix anunciou um novo jogo chamado apenas de Tomb Raider, com o slogan “A Survivor is Born”, ou “Nasce uma Sobrevivente”.

Ao invés de seguir fazendo sequências dos jogos anteriores, foi criada mais uma linha do tempo, dessa vez começando pela história de origem de Lara Croft. E eis que temos mais uma linha do tempo da musa dos games.

Nasce uma sobrevivente

O primeiro jogo da trilogia que conta a origem da arqueóloga mais famosa dos games traz uma Lara jovem e mais humana. No jogo de 2013, ela é uma garota apaixonada por aventura, mas com problemas devido a ausência do seu pai durante a infância. Quando a sua mãe, Amelia Croft, morreu em um acidente de avião, o pai de Lara, Richard Croft, se tornou obcecado pela vida após a morte.

Apesar de ter acompanhado o pai em algumas expedições, sua primeira aventura aconteceu mesmo após embarcar no Endurance, quando ela partiu junto com um grupo de amigos para descobrir os segredos do reino perdido de Yamatai.

Tomb Raider é um jogo intenso e quase cinematográfico, bem diferente de tudo que já tínhamos visto antes na franquia. A exploração e resolução de puzzles ainda existe, mas agora divide espaço com uma história que é contada quase simultaneamente com o gameplay.

Nele vemos um Lara inexperiente, que aprende e sobreviver diante do perigo praticamente sozinha com a natureza. As clássicas pistolas foram trocadas por arco e flecha, que inclusive têm uma mecânica de tiro realmente muito boa.

Se teremos as antigas aventuras de Lara de volta em algum momento? Ainda não sabemos, mas provavelmente teremos alguma resposta no final de Shadow of the Tomb Raider.

Tomb Raider: A Origem

Alicia Vikander em Tomb Raider: A Origem

Assim como os jogos antigos, o novo reboot de Tomb Raider também fez muito sucesso. Tanto o primeiro jogo quanto a sequência Rise of the Tomb Raider foram muito elogiados e receberam várias premiações. E agora, em 2018, a franquia ganhou uma nova série de filmes, dessa vez com a atriz Alicia Vikander interpretando a icônica heroína.

Assim como os jogos, o filme dirigido por Roar Uthaug conta a história de origem de Lara Croft. Ele retrata a história de forma diferente, mostra um pouco mais sobre a vida da Lara antes da viagem no Endurance (que ocorre por um motivo diferente) e muda até mesmo os personagens.

Mas a essência do reboot está ali, o filme tem muitas cenas de ação claramente baseadas no jogo e tenta seguir ao máximo a evolução de Lara Croft de uma garota rica e inteligente até uma mulher forte e determinada que é apaixonada por grandes aventuras.

Talvez ainda demore para vermos uma Lara Croft parecida com aquela que conhecemos lá no passado. Mas pode ter certeza que logo ela não será mais aquela garota assustada que vimos em 2013. No Rise ela já tem uma grande evolução em relação a isso. E depois que Shadow of the Tomb Raider foi anunciado, estão sendo lançados pedaços de uma imagem promocional do novo jogo. Pelo que dá pra ver, a Lara não parece nem um pouco frágil nela. Concordam?

Bom pessoal, este foi um post longo, mas espero que tenham gostado de relembrar um pouco (ou talvez até conhecer) a trajetória de Lara Croft. Continuem acompanhando as postagens aqui no Jogo Véio e não deixem de conferir também as colunas dos outros redatores que estão nota 1000! ????

Mais textos relacionados
Leia mais por Sora
Leia mais em QG da Sora

Veja também

Bloodstained: Curse of the Moon – Um show de nostalgia para os fãs de Castlevania

Olá pessoal, tudo bem? Aqui é a Sora e hoje vamos falar de Bloodstained: Curse of the Moon…