Os Melhores jogos de 1998

por Ítalo Chianca em 5 de janeiro de 2018

O que você estava fazendo há 20 anos? Estava no cinema assistindo a estreia de Titanic? Jogando bola na rua e dizendo ser um dos craques da seleção brasileira que disputou a Copa do Mundo? Em frente a TV admirando a Tiazinha no programa do Luciano Huck? Ouvindo um disco do Tim Maia para se despedir de seu talento único? Ou na locadora do bairro aproveitando um dos melhores anos da história dos videogames?

1998 foi realmente um ano maravilhoso para os gamers. Tivemos grandes lançamentos de franquias consagradas e vimos surgir séries que nos acompanhariam pelas próximas décadas. É até injusto citar apenas 10 grandes games. Mas, como o Véio não me deixou postar um Top 50, vamos a nossa “listinha”.

10. Marvel vs. Capcom: Clash of Super Heroes

Nem nos papos de locadora mais surreais daquela época alguém poderia imaginar que um dia teríamos um jogo de luta que unisse os universos da Marvel e da Capcom. O sonho começou a se tornar realidade em 1996 e 1997, com os lançamentos de X-Men vs. Street Fighter e Marvel Super Heroes vs. Street Fighter, respectivamente, Mas foi somente com a chegada de Marvel vs. Capcom: Clash of Super Heroes que a coisa tomou proporções gigantescas.

Foi justamente por trazer o sonhado, mas inesperado, que esse incrível jogo de luta fez tanto barulho quando foi lançado em 1998. Com gráficos excelentes, combates frenéticos, uma ótima seleção de personagens, jogabiidade divertida e especiais que tomavam toda a tela, Marvel vs. Capcom foi, sem dúvidas, um dos títulos mais jogados daquele ano nos arcades.

09. Sonic Adventure

A segunda metade da década de 1990 marcou a transição dos jogos 2D para o 3D. E, em 1998, depois de ver seu maior rival estrelar um dos jogos que moldou o gênero de aventura em três dimensões, Sonic também recebeu o seu próprio jogo 3D, com direito a velocidade de sempre, estágios caprichadíssimos, muitos personagens e uma jornada épica.

Sonic Adventure trazia gráficos magníficos para a época, com detalhes de luz, sombra e texturas inigualáveis, trilha sonora cheia de rock, seis personagens jogáveis, mundos enormes para se explorar com total liberdade, e uma série de pequenos detalhes que tornaram o game grandioso e um dos melhores lançados para o saudoso Dreamcast. Quem viu aquela cena da fase da baleia na época, certamente se perguntou se os videogames seriam capazes de, algum dia, reproduzir algo mais real e bonito do que aquilo. Um clássico.

08. The King of Fighters 98

A série The King of Fighters já era uma das mais queridas pelos jogadores quando a versão 98 chegou aos arcades e ao Neo Geo no segundo semestre de 1998. O título era tratado como uma versão especial, já que não dava sequência a história principal, tão bem elaborada nos jogos anteriores.

Contudo, a falta de um enredo canônico deu liberdade para os desenvolvedores trazerem a maioria dos personagens já visto até então, além de versões alternativas. Para completar, as melhorias nos gráficos e na jogabilidade agradaram críticos e jogadores, tornando este game um dos melhores jogos de luta da década de 1990.

07. Banjo-Kazooie

A década de 1990 foi uma das mais produtivas para a Rare. Desde sua parceria com a Nintendo, a empresa se tornou sinônimo de qualidade no mercado de jogos eletrônicos. E, em 1998, a desenvolvedora inglesa transformou o protótipo Project Dream — em desenvolvimento para Super Nintendo — em um dos maiores clássicos do Nintendo 64.

Leia também:  Os jogos mais vendidos do Game Boy

Banjo-Kazooie trazia um vasto universo 3D, cheio de vida, enigmas, personagens carismáticos e muita exploração. O jogo seguia alguns conceitos consagrados por Super Mario 64, ao passo que apresentava uma riqeuza de detalhes visuais e de mecãnicas inigualável. Em pouco tempo, o título já era um dos maiores sucessos do console, agradando jogadores e principalmente a mídia especializada — como não lembrar da clássica edição # 01 da Nintendo World com o jogo na capa?

06. Xenogears

Outra empresa que também era — e ainda é — sinônimo de qualidade nos videogames na década de 1990 era a Square. Seus RPGs marcaram a história dos videogames e se tornaram pilares da indústria. Portanto, não se esperava menos de Xenogears.

Lançado para PlayStation, o RPG trazia, além de elementos clássicos do gênero — exploração em ambientes vastos, interação com personagens e combates por turnos —, uma profunda base filosófica que dava o toque especial a trama e aos protagonistas. Este é um game para se jogar com tudo no fantástico universo que o cerca. Um clássico.

05. Parasite Eve

1998 foi um grande ano para o PlayStation. Mas em meio aos excelentes jogos que o console recebeu, alguns ganharam um destaque extra, principalmente pela originalidade e pela qualidade técnica. Esse é o caso de Parasite Eve. Desenvolvido pela Square, o game misturava elementos de RPG, ação e survival horror, apresentando tudo isso num magnífico mundo recriado com gráficos pré-renderizados, uma trilha sonora soberba e um enredo cativante estrelado pela jovem agente policial Aya Brea.

O jogo aproveitou o sucesso de Resident Evil e reformulou alguns conceitos da franquia da Capcom para criar a própria mitologia e estilo de jogo. No Brasil, o título fez bastante sucesso, sendo figura presente na maioria das revistas de videogame da época. Você acompanhou alguma delas?

04. Metal Gear Solid

Originária do MSX, a série Metal Gear se reinventou em 1998, aprimorando todos os conceitos que consagraram a franquia na geração 8-bit e dando inicio a uma das sagas mais aclamadas dos videogames. Em Metal Gear Solid, o desenvolvedor Hideo Kojima criou um universo cinematofráfico, apostando numa jogabilidade mais cadenciada, intercalando com um enredo profundo e momentos de pura ação.

Já presente nos títulos anteriores, o foco do jogo está no stealth. Nada de sair atirando como um louco por aí. É preciso ter cautela para progredir, analisando todo o estágio e calculando cada passo. Com tanta originalidade e capricho, o jogo chamou a atenção da mídia, que aclamou o capricho técnico da aventura, comparando o game a grandes produções do cinema. Mas melhor do que isso foi a recepção dos jogadores, que compram mais de seis milhões de cópias, transformando Metal Gear em um dos simbolos daquela geração.

03. Pokémon Yellow

Os jogos da série Pokémon para o Game Boy já eram um sucesso avassalador no meio da década de 1990, principalmente no Japão. E, para completar a febre, foi lançado, em 1998, Pokémon Yellow, uma nova versão de Pokémon Red & Blue com diversas mudanças e adaptações.

Leia também:  Os maiores RPGs do Super Nintendo

O jogo aproveitava o embalo da série animada e adaptava eventos e personagens do jogo para o que acontecia na TV. Dessa vez, o protagonista era Ash, que, por sua vez, obrigatoriamente começava a jornada para se tornar um mestre Pokémon ao lado de Pikachu. Os antagonistas eram Jessie e James, membros da Equipe Rocket. Todas essa adaptações, contudo, não alteraram a essência do jogo. Muito pelo contrário. Ajudaram a tornar o game ainda mais popular entre a garotada.

02. Resident Evil 2

Com o sucesso do primeiro jogo da série, que praticamente redefiniu o gênero de ação e survivor horror na década de 1990, uma continuação para Resident Evil era praticamente inevitável. E ela veio, ainda mais bonita, profunda e cativante. Resident Evil 2 coloca o jogador no controle de Leon S. Kennedy e Claire Redfield, podendo seguir a jornada principal com ambos, de diferentes pontos de vista da mesma trama.

O jogo, inclusive, centra-se no desenrolar da exploração, solução de puzzles e combate dos dois personagens em Raccoon City, com um sistema de jogo que ficou conhecido como “Zapping”. O instinto de sobrevivência se mistura com o terror e a ação criados magistralmente pelos mestres do desenvolvimento Hideki Kamiya e Shinji Mikami, dando vida a um game de excelente ambientação, ótimos gráficos, trilha sonora desesperadora e uma trama envolvente.

01. The Legend of Zelda: Ocarina of Time

Foi em 1998 que o mundo dos videogames viu o surgimento de The Legend of Zelda: Ocarina of Time, clássico do Nintendo 64 e considerado por muitos jogadores com um dos melhores jogos de todos os tempos.

Ocarina of Time colocava o jogador num mundo gigantesco, cheio de vida, cores e sons sem precedentes até então. Tudo parecia orgânico na Hyrule poligonal recriada no Nintendo 64. A sensação de distância, profundidade e escala impressionaram. A trilha sonora também é um das mais inspiradas já produzidas em um jogo, com melodias clássicas e temas que simplesmente não envelhecem.

A exploração e o combate vistos no jogos ajudaram a moldar os conceitos do gênero de aventura durante os anos seguintes, estando presente, inclusive, em produções mais modernas. A resolução de enigmas, as viagens no tempo e a jornada por entre calabouços, com direto a confrontos contra chefes gigantes completava o pacote desse título atemporal.

Muitos críticos consideraram o jogo como a melhor e mais imersiva experiência de aventura em um videogame já criada até 1998. Não por acaso Ocarina of Time colecionou pontuações perfeitas em publicações especializadas, todas celebrando o seu enredo, gráficos, trilha sonora, jogabilidade e diversão beirando a perfeição. Se você está aqui e nunca jogou esse clássico, eu recomendo que você pare tudo que está fazendo e ajude Link e vencer Ganondorf nessa obra prima dos videogames.

Ano de ouro

1998 foi realmente um ano diferenciado na história dos videogames. Além desses dez jogos da lista, muitos outros grandes títulos foram lançados naquele ano, como Metal Slug 2, Real Bout Fatal Fury 2: The Newcomers, SaGa Frontier, Guilty Gear, Radiant Silvergun, Street Fighter Zero 3, F-Zero X, Soul Calibur, Spyro the Dragon, Legend of Legaia, Tomb Raider III, e tantos outros.

E para você, véio leitor? Como seria o seu Top 10 de melhores jogos lançados em 1998. Conta aí para a gente nos comentários.


Leia mais sobre: , , , , , , , ,