Strip Fighter: o clone de Street Fighter II para maiores

Ítalo Chianca / 18 de setembro de 2017 / Revistas: Old News

Reviramos o baú de relíquias do Véio até encontrar uma notícia bombástica. Na primeira edição da revista Super GamePower, um jogo de luta com mulheres com pouca roupa causou alvoroço entre os leitores. Relembre Strip Fighter II.

A febre do Street Fighter II

Durante a primeira metade da década de 1990, o mundo dos videogames presenciou o fenômeno Street Fighter II. O jogo de luta da Capcom transformou os fliperamas em verdadeiros palcos de luta. O mesmo aconteceu com as locadoras, quando o jogo foi lançado para os consoles da época.

O jogo era assunto em todas as rodas de conversa e principalmente nas revistas de videogame, onde estampava uma capa atrás da outra. Tanto sucesso resultou no lançamento de diversas versões melhoradas, como Street Fighter II: Champion Edition, Hyper Fighting e Turbo.

Contudo, nem só de versões oficiais viveram os jogadores da época. Clones se espalharam mais do que piolho na escola, resultando na mania dos Streets de rodoviária, versões modificadas e bem malucas do game original.

Além disso, muitas empresas resolveram criar os seus próprios jogos de luta, inspirados no sucesso da Capcom. Algumas conseguiram desenvolver ótimos títulos. Já outras, conseguiram criar verdadeiras pérolas, mencionadas até nas principais revistas de videogame, como é o caso de…

Só para maiores

Quando a revista Super GamePower chegou às bancas em 1994, depois da fusão da GamePower e SuperGame, os leitores já deviam esperar uma edição fantástica, lotada de dicas, truques, análises, prévias e, claro, notícias. Mas o que talvez a maioria não esperasse, era a seguinte manchete, bem discreta, num cantinho de coluna Circuito Aberto.

STRIP FIGHTER

Não, véio, você não leu errado. Era Strip Fighter mesmo. Num primeiro momento, realmente era fácil passar batido pela notícia. A fonte da logo é praticamente a mesma de Street Fighter II, e a tela mostrada lembra bastante o estilo do game em uma vista rápida. Mas, colada na imagem do jogo, tinha um quadro com uma morena bem.. digamos… chamativa.

Aí já viu, né? A curiosidade para saber do que se tratava o tal do Strip Fighter deve ter aguçado os sentimentos da galera. Segundo a notícia, “A softhouse pirata mais famosa do Japão, a Hacker International, está com seu mais recente produto no mercado: é Strip Fighter.”

Um hack sendo notícia na Super GamePower? Tinha que ter alguma coisa “especial” nesse game. A notícia seguia: É isso mesmo que você está pensando: um misto de Street Fighter e strip-tease; quer dizer quem perde tira a roupa. Muitas gatas a disposição.”. Interessou, não é?

A obra-prima

Alguns marmanjos devem ter pirado com a notícia na época. Um jogo no estilo Street Fighter com garotas semi-nuas e que perdem o restante das roupas depois da luta. Confesse, você também queria aquele jogo, né véio?

Mas, como uma bomba, o jogo apareceu, explodiu algumas cabeças, e depois sumiu. Sem mais notícias de Strip Figther. Mas afinal, o jogo existe mesmo?

Sim, ele existe, e você pode jogá-lo em um PC Engine ou num Sharp X68000. Strip Fighter II (o primeiro não existe) foi desenvolvido pela Game Express e lançado em algum momento entre o final de 1993 e o início de 1994. Nele, você escolhe uma entre as seis personagens disponíveis — Bella, Martha, Medusa, Nina, Yuki e Amanda— e sai na porrada contras as outras lutadoras.

Você pode jogar contra um amigo ou enfrentar a “máquina” em cenários variados. As lutas contam com especiais, socos, chutes e tudo que tem direito. Os cenários são simples, mas suficientes. E as personagens são até bem detalhadas, todas com suas roupas curtinhas.

No final da luta, caso você vença, a bela morena da Super GamePower aparece, dizendo algo em japonês, com quase nenhuma roupa. Vença outra luta, e a morena surge novamente, dessa vez, sem roupa alguma. Isso mesmo, véio leitor. Peladinha!

E não para por aí. Conforme você avança no jogo, outras garotas aparecem depois do combate com roupas íntimas, perdendo-as completamente em caso de mais uma vitória. A cada nova luta, um novo incentivo para continuar.

Clássico?

Certamente, se não fosse a notícia na Super GamePower, Strip Fighter teria passado despercebido por muitos jogadores. Mas, depois de estampar as páginas de uma das revistas mais vendidas do Brasil, muito marmanjo deve ter procurado essa pérola para “se divertir”.

Ah, e para completar, Strip Fighter II ainda recebeu uma continuação. Com o sucesso de Street Fighter IV, as strippers lutadores estrelaram Strip Fighter IV (o três não existe).

Vídeo

E você, nobre amigo leitor fã de Street Fighter? Lembra dessa notícia? Conhecia esse “clássico”? Ou ficou surpreso com a existência dessa obra-prima retrô e já encomendou um PC Engine para testá-lo. Tem uma outra opção para jogar Strip Fighter II. Você sabe qual é. Mas não posso dizer, né? Dizem que é crime!

Compartilhe com a galera:

FacebookTwitterGoogle+

Leia mais sobre: , , , ,


Leia a Revista Jogo Véio

Revista Jogo Véio - Gratuita, pra ler no PC, no Tablet e no Smartphone

Junte-se ao Asilo