Home Colunas Top 10 Top 10 – Jogos essenciais da Marvel

Top 10 – Jogos essenciais da Marvel

0

Stan Lee se foi, conforme registrado, em 12 de novembro de 2018. O homem que contribuiu de forma gigantesca com a cultura pop através da Marvel (incluindo nosso maravilhoso universo, o videogame) não está mais em nosso mundo, infelizmente.

Hoje, nós do Jogo Véio convidamos você para dar uma volta na nossa time-machine para curtir 10 jogos da Marvel que são essenciais. Claro, o artigo é uma questão de opinião, fique à vontade para acrescentar jogos desse tema nos comentários!


10 – Spider-man: Return of the Sinister Six

Plataformas: NES, Master System (1992)

O Homem-aranha precisa dar cabo do Sexteto Sinistro, que o chama para a briga em todos os veículos da mídia na época.  A premissa não é lá essas coisas, mas o elenco é interessante: Dr. Octopus, Elecktro, Homem-areia, Mysterio, Abutre e Duende Macabro. O jogo é difícil (ainda que no Master ficou um pouco menos difícil), mas cada fase tem seu jeitinho, dá pra terminar sendo perseverante.


9 – Captain America & The Avengers

Plataforma: Arcade (1991)

Um ano depois de seu lançamento nos arcades, este game ganhou portabilidade para Mega Drive e Super Nintendo, provavelmente devido ao sucesso da época. Produzido pela Data East, Captain America & The Avengers permitia até 4 jogadores no arcade e partidas em dupla nos consoles. Os personagens eram: Capitão América, Homem de Ferro, Visão e Gavião Arqueiro. O enredo trazia a premissa de que o Caveira Vermelha obteve um dispositivo que lhe concedeu poder sobre poderosos vilões do universo Marvel. Os Vingadores contam ainda com ajuda de alguns outros heróis (Mercúrio, Magnum, Vespa) e o anti-herói Namor. O jogo é cheio de onomatopeias, lembrando os quadrinhos, e rendia algumas rizadas quando o narrador caricato exclamava “Aveeengers!“. Lembra desse jogo?


8 – X-men – Mutant Apocalypse

Plataforma: Super Nintendo (1994)

Preocupado com as últimas ações de Apocalypse, o Prof. Xavier ordena 5 de seus alunos para Genosha, para libertar os mutantes aprisionados lá. Cyclope, Wolverine, Fera, Psylocke e Gambit são divididos para invadir pontos diferentes do país e parar os Magistrados de Genosha, uma fábrica de Sentinelas e o próprio Apocalipse. Mas os X-men não são os únicos dispostos a estragar os planos de Apocalipse… e só quem chegou lá sabe de quem eu estou falando.


7 – Marvel Super Heroes – War of Gems

Plataforma: Super Nintendo (1995)

Adam Warlock pede ajuda aos maiores heróis da Terra para que reúnam as Jóias do Infinito, antes que o Titan Louco, Thanos as obtenha. Entre esses heróis estão Capitão América, Homem de Ferro, Hulk, Homem-Aranha e Wolverine. Infelizmente para os fãs, o elenco capangas é miserável: encontram-se “versões maléficas” de Demolidor, Mulher-Hulk, Wolverine, Visão, Surfista Prateado e Pigmeu. Entre os chefes, destacam-se: Dr. Destino, Magus, Nebula, Coração Negro e Thanos. O jogo peca na execução, já que é baseado na Saga da Manopla do Infinito, um épico da Marvel.


6 –  Spider-Man & Venom: Maximum Carnage

Plataformas: Super Nintendo e Mega Drive (1994)

O Homem-Aranha e seu inimigo mortal Venon unem forças para parar um mal maior: o Carnificina. O jogo é baseado no arco Maximum Carnage, que explora outras criaturas que se associaram ao simbionte alienígena. O amigão da vizinhança conta com um elenco de super-heróis (um movimento especial os convoca para ajudar), enquanto Venon conta com vilões meia-boca com a mesma função. Os gráficos se aproximam das HQs ao máximo que os 16-bits permitiram. Quer saber mais sobre esse clássico? Clique aqui!

Quer ouvir mais sobre os jogos do nosso Aracnídeo favorito? Vamos nessa!


5 – The Punisher

Plataformas: Arcade e Mega Drive (1993)

O Justiceiro e o agente Nick Fury saem às ruas para fazer uma “limpeza” nas ruas de Nova York, usando pistolas, metralhadoras, granadas e, principalmente, os punhos. O vilão da vez é o Rei do Crime, acompanhado de capangas do universo do protagonista. O jogo simula muito bem as HQs do Justiceiro, não possui grandes crossovers com outros mascarados da Marvel, mas talvez para manter a ambientação sombria do game. É outro jogo que merece uma boa análise, não? A gente tem!


4 – X-men vs Street Fighter

Plataforma: Arcade (1996)

Em uma grande jogada de marketing a CAPCOM e a Marvel unem forças para colocar duas franquias cheias de fãs juntas em um crossover que seria o início de uma longa parceria. Os mutantes dos quadrinhos de X-men (e inimigos deles também, como Magneto e Dentes-de-sabre) faziam duplas com os Guerreiros do Mundo, sendo que esse ultimo grupo precisou de uma leve ampliação de seus poderes, para que houvesse equilíbrio entre as escolhas. A ideia foi longe, X-men vs Street Fighter virou até HQ. Temos uma matéria recomendável sobre esse marco bem aqui.


3 – Marvel Super Heroes

Plataforma: Arcade (1995)

Em 1995 a CAPCOM e a Marvel nos pegaram de surpresa com esse jogo de luta ultra-animado. Heróis e vilões da Marvel se digladiam em busca das Jóias do Infinito, com a possibilidade de usá-las a fim de virar o resultado de uma luta. Alguns cenários podem ser completamente destruídos durante a pancadaria. O elenco também é notável. Heróis: Capitão América, Homem-Aranha, Wolverine, Psylocke, Hulk e Homem de Ferro. Vilões: Coração Negro, Shuma-Gorath, Fanático, Magneto, Dr. Destino (subchefe) e Thanos (chefe final). Um jogo bonito, foi uma das introduções da Marvel mais marcantes nos arcades da CAPCOM!


2 – Marvel Super Heroes vs Street Fighter

Plataforma: Arcade (1997)

Sucessor direto de X-men vs Street Fighter, agora a pegada contra os Street Fighters fazia direito ao elenco de Marvel Super Heroes (acima). Com uma nova Engine, a CAPCOM fez bonito e colocou um pouco mais de ação do que na versão anterior. Há ainda quem prefira os anteriores (vide itens 3 e 4 desta lista), mas este jogo é a sequência digna de nota, que também nos ensinou os horrores de que Akuma pode alcançar, se misturado com a tecnologia de Apocalipse. É claro que a equipe Jogo Véio fez uma análise desse clássico. E você pode conferir bem aqui.


1 – Marvel vs Capcom: Clash of Super Heroes

Plataforma: Arcade (1998)

Expandindo os horizontes das duas franquias, a edição definitiva chegou em 1998! Aqui, o próprio Prof. Xavier chamou os heróis do mundo todo para que possam pará-lo, pois ele pressente que sua face mais obscura “O Massacre” aparecerá para destruir o mundo. Aqui, tanto Marvel como CAPCOM aparecem em peso. E esse foi o épico que os fãs das duas franquias precisam jogar! Obviamente, a equipe jogo Véio analisou esse jogo com muito carinho, mas sem suavidade. Quer ver? Pode clicar aqui. E temos também uma imperdível Vídeo Análise!

Esses maravilhosos Crossovers também mereceram um podcast.

É claro, não estamos afirmando que Stan Lee criou esse universo sozinho, mas foi o criador ou co-criador de muitos dos personagens da Marvel que rechearam os videogames com aventuras, lutas e histórias que uniram fãs de quadrinhos e de bons games!

Por isso, Stan Lee… onde você estiver, receba nossos abraços!

Excelsior!!!

Mais textos relacionados
Leia mais por Roberto Bier
Leia mais em Top 10

Veja também

Top 10 Representações de Bruce Lee nos games

Bruce Lee era o cara! Todo o fã de artes marciais conhece uma ou outra história ou frase d…