Lute contra aliens e contra o tempo em Too Angry to Space (Steam)

Eduardo Paiva / 6 de setembro de 2016 / Quase Véios

Criado por Andrzej Chrzanowski, um desenvolvedor indie que utiliza o nickname de AK84C, Too Angry to Space foi lançado no Steam no dia 8 de Agosto de 2016 após ter recebido sinal verde pela comunidade através do sistema Steam Greenlight da plataforma, com pretensões futuras de ser lançado também para Mac e Linux. O Jogo traz consigo muita ação e tiros, bem no estilo shoot em’ up clássico.

No espaço tudo pode dar errado

Too Angry to Space tem como protagonista o sargento Red Madson, único sobrevivente de uma estação espacial que foi infestada por aliens e robôs. Seu único objetivo é sobreviver e conseguir chegar até as naves de transporte e poder voltar para Terra, já que a estação está condenada a destruição.

foto2

A jogabilidade é a clássica do gênero: pular, atirar, sobreviver, repetir. Ao longo da jornada você pode contar com quatro tipos de armas: pistola, metralhadora, escopeta e lança-míssil. Entre um robô destruído e um alien destroçado, você encontra Power-Ups de energia e de munição. Nos mapas você pode destruir terminais de computador (e recuperar um pouco de energia junto) e coletar Dog Tags de seus companheiros que pereceram diante à ameaça alienígena. Para escapar da nave, você avança de sala em sala, precisando coletar cartões de acesso (nas cores amarela, azul e vermelha) para prosseguir e enfrentar ocasionalmente alguns chefes (bem fáceis de se derrotar, diga-se de passagem). Sempre com um contador regressivo na tela, o jogo transmite um pouco de urgência e tensão ao jogador, o que acaba se tornando um atrativo. Ainda mais nas fases finais do jogo, onde fica um pouco mais difícil localizar os cartões de acesso.

foto3

A parte visual deixa um pouco a desejar, com animações simples e as vezes grosseiras e pouca variedade de inimigos e cenários, mas como Too Angry to Space foi desenvolvido por apenas uma pessoa, essas limitações são compreensíveis e devemos considerar o esforço e empenho investidos para desenvolver o game e manter viva a chama dos jogos véios! O som não compromete e também segue a simplicidade e falta de variedade dos gráficos. O menu conta com instruções detalhadas sobre os comandos do jogo, como o Angry Mode e também exibe os maiores placares alcançados pelos players mundo afora.

foto4

Angry Mode

A grande estrela do jogo é o Angry Mode (modo raivoso, em uma tradução livre): conforme você vai despachando os inimigos com suas suadas e contadíssimas balas e coletando Dog Tags, sua barra de raiva vai enchendo e quando ela está totalmente cheia, você pode ativar seu modo raivoso que te deixa mais rápido, mais preciso e mais resistente, além de atirar muito mais balas também. Existe até uma opção de poder ativar o modo automaticamente sempre que a barra estiver cheia. O Angry Mode traz um pouco de variedade e dinâmica para o jogo que na sua maior parte é linear e repetitivo. Afinal, quem não gosta de descontar toda sua raiva em robôs assassinos e alienígenas gosmentos?

foto5

Veredito

Too Angry to Space é um bom passatempo, desenvolvido pela paixão e empenho por jogos antigos de um cara, um gamer que poderia ser qualquer um de nós e que acaba nos incentivando a também dar esse passo adiante e botar em prática toda nossa criatividade e ideias malucas.

foto6

Sua dificuldade é moderada e fracassos acontecerão, mas os checkpoints são bem localizados e permitem que você esteja de volta a ação em pouco tempo. Não há muito o que explorar, apesar de existirem itens a serem coletados que muitas vezes vão passar despercebidos e a pouca variedade de inimigos e cenários pode incomodar algumas pessoas, mas a jogabilidade e os elementos clássicos estão lá, prontos para serem apreciados por quem gosta.


Vídeo

Compartilhe com a galera:

FacebookTwitterGoogle+

Leia mais sobre: , , ,


Leia a Revista Jogo Véio

Revista Jogo Véio - Gratuita, pra ler no PC, no Tablet e no Smartphone

Junte-se ao Asilo