Os 10 melhores jogos de videogame lançados em 1996

Eidy Tasaka / 20 de junho de 2017 / Top 10

Reunimos o Véio Conselho para uma análise rigorosa sobre os jogos que fizeram a nossa alegria há 20 anos e decidimos, depois de longas seções de xingamentos e ameaças, os dez melhores games lançados no saudoso ano de 1996. Bons tempos…

O que você estava fazendo em 1996? Assistindo os desenhos da TV Manchete? Ouvindo pela décima vez, no mesmo dia, o disco dos Mamonas Assassinas? Jogando uma pelada na rua? Alugando um jogo na locadora? Ou tudo isso ao mesmo tempo?

1996 foi realmente um ano incrível, principalmente se você passou boas horas da sua vida jogando videogames. Naquele ano, vivíamos um momento de transição entre gerações, com grandes jogos sendo lançados para diversas plataformas.

Recebíamos um clássico atrás do outro, fora os jogos dos anos passados que só descobríamos meses depois, triplicando os momentos de diversão. Mas, em meio a tantos excelentes jogos. afinal, quais foram os melhores games lançados em 1996? Confira a nossa lista e relembre essas pérolas.

Esse texto foi publicado originalmente na Revista Jogo Véio Nº 1. Para ver a edição completa, clique aqui.

10. Tomb Raider

Se você ainda tinha dúvida sobre a importância do ano de 1996 para os videogames, ela acaba agora, pois aquele foi o ano do surgimento de uma das maiores musas dos videogames, a belíssima e poderosa Lara Croft.

Lara foi a estrela do jogo Tomb Raider, uma interessante aventura em 3D na qual o jogador explorava tumbas, cavernas, calabouços e todo tipo de desafio, que ainda envolvia o total domínio da arqueóloga, fosse correndo, saltando ou atirando com as pistolas em criaturas sobrenaturais.

9. Mortal Kombat Trilogy

Reunindo o que de melhor a série apresentou durante a primeira metade da década de 1990, Trilogy foi a versão definitiva de um clássico dos arcades que rapidamente invadiu os consoles da época.

Lançado para PlayStation, Saturn, Nintendo 64 e até PC, o jogo foi um tremendo sucesso na época, aparecendo em diversas publicações especiais na época de seu lançamento. Mas não era para menos. Mortal Kombat era uma das principais franquias da época. E ter um jogo que contava com praticamente todos os personagens, cenários e especiais, era um sonho para os gamers.

8. Super Mario RPG

Reunir Nintendo e Squaresoft, duas das maiores desenvolvedoras de jogos dos anos 90, em um jogo que unia a fantasia do mundo de Mario com os conceitos que consagraram Final Fantasy como um dos maiores RPGs da década de 1990, era um evento a ser comemorado por todos em 1996.

O resultado dessa união de gigantes foi o excelente Super Mario RPG, um game que utilizava as mecânicas de exploração e combate por turnos para introduzir os fãs do Reino do Cogumelo ao gênero RPG. Tudo isso com direito a visuais deslumbrantes, referências inusitadas e um sistema de combate interativo que o tornaram um dos melhores jogos do Super Nintendo.

7. Donkey Kong Country 3

Lançado praticamente no fim da vida útil do Super Nintendo, DKC3 encerrou de forma magistral uma das maiores e mais conceituadas trilogias da história dos videogames. Nessa terceira aventura, o jogador controlava Dixie e Kiddy, que partiam juntos ao resgate de Donkey Kong e Diddy.

Com visuais ainda mais bonitos, maior liberdade de exploração dos mapas e uma infinidade de fases e segredos, o título aprimorou ainda mais as mecânicas vistas nos jogos anteriores, entregando uma das experiências mais completas que um game de plataforma 2D poderia entregar naquela época. Já leu nossas análises de Donkey Kong Country 1 e Donkey Kong Country 2? Então vá ler agora!

6. NiGHTs Into Dreams

Sem Sonic, coube à Nights a missão de representar a Sega durante a geração 32-bit. Sua estreia nos videogames foi justamente em 1996, com o jogo Nights into Dreams…, uma exuberante mistura de gráficos 3D com jogabilidade 2D.

Desenvolvido pelo conceituado Sonic Team, Nights entregava uma gratificante experiência de voo por um colorido e fantástico mundo de sonhos, apostando em uma jogabilidade diferenciada que fazia uso de um controle próprio, com direito a analógico, e em uma direção de arte que fazia uso de todo o poder do Saturn.

5. Duke Nukem 3D

Lançado para PC em 1996, Duke Nukem 3D fez barulho ao surgir completamente reformulado em comparação com os outros dois jogos da série. A maior mudança era em sua jogabilidade, que dessa vez era focada na perspectiva em primeira pessoa.
Precisando salvar a terra de uma invasão alienígena, Duke Nukem sai por cidades famosas, como Los Angeles, destruindo tudo que vir pela frente. Os detalhes dos cenários, a precisão da jogabilidade, a violência extrema e o divertido multiplayer fizeram desse jogo um marco para os FPS e seus conceitos foram determinantes para a popularização do gênero que hoje domina as gerações atuais.

4. Pokémon Red & Blue

Responsáveis por uma febre Pokémon que parece interminável, Pokémon Red e Blue foram lançados em 1996, criando os conceitos para uma das franquias mais rentáveis dos videogames e servindo de inspiração para o anime que virou mania durante a segunda metade da década de 1990.

Publicado para o Game Boy, o título seguia a jornada do jovem Red em busca na busca para se tornar um mestre Pokémon. Para isso, você deveria capturar o maior número de monstrinhos, treinar o seu time, explorar diversas cidades, administrar seu inventário, interagir com NPCs e desafiar outros treinadores de Pokémon. Além disso, o jogo trazia a possibilidade de conectar até dois Game Boy para que os jogadores trocassem seus Pokémon e duelassem entre si.

3. Crash Bandicoot

1996 também foi o ano que o PlayStation ganharia o seu mascote. Desenvolvido pela Naughty Dog (hoje responsável por jogos como Uncharted e The Last of Us), Crash Bandicoot uniu visuais cartunescos, jogabilidade precisa e variada, estágios desafiadoras, dezenas de colecionáveis, perspectiva de câmera nova e um personagem carismático para entregar uma das mais completas aventuras em plataforma da geração.

O jogo marcava a transição de gerações que muitos jogadores pediam na época, ou seja, um jogo no estilo plataforma (símbolo dos 16-bit) com visuais e controles inéditos (câmera por trás do personagem que podia se movimentar livremente pelo cenário). Tecnicamente impecável, Crash foi um tremendo sucesso, vendendo milhões de cópias e iniciando uma trilogia que marcaria o primeiro PlayStation para sempre.

2. Resident Evil

Quando o duelo entre PlayStation e Saturn parecia cada vez mais acirrado, a Capcom lançou para o console da Sony, em 1996 (somente no ano seguinte para o console da Sega), Residente Evil, um dos jogos que revolucionaria a geração 32-bit e daria um baita empurrão no interesse do público na escolha pelo PlayStation.

O jogo contava com cenas com atores reais, gráficos pré-renderizados de alta qualidade e uma atmosfera de suspense e apreensão poucas vezes vistas em um videogame até aquele momento. Além do mais, a mistura entre sobrevivência, ação, exploração e resolução de puzzles em uma mansão assombrada por criaturas medonhas cativou os jogadores, que compraram milhões de cópias de um jogo que daria origem a uma das maiores franquias da indústria de jogos até hoje.

1. Super Mario 64

O primeiro colocado da lista não poderia ser outro, senão o bigodudo mais famoso dos games! Super Mario 64 revolucionou a indústria dos jogos ao transpor um personagem tradicionalmente bidimensional para um universo totalmente em três dimensões. Mario pula, dá piruetas, socos, bundadas e rasteiras, ampliando ainda mais o seu rol de habilidades e o folclore do Reino do Cogumelo.

As fases, em vez de serem apenas pequenos trechos lineares, tornaram-se verdadeiros mundos, repletos de detalhes, segredos e objetos interativos. Conquistar as 120 estrelas de Super Mario 64 foi o ponto alto dos videogames em 1996, com o mundo inteiro aplaudindo de pé a entrada da Nintendo na dita “geração poligonal”.

Compartilhe com a galera:

FacebookTwitterGoogle+

Leia mais sobre: , , , , , , , ,


Leia a Revista Jogo Véio

Revista Jogo Véio - Gratuita, pra ler no PC, no Tablet e no Smartphone

Junte-se ao Asilo