Earthbound (SNES) – crianças, ETs e muita diversão neste épico JRPG Nintendista

Lucas Rodrigues / 27 de agosto de 2017 / Análises, SNES

De volta aos tempos das locadoras, havia um jogo que poucos se aventuravam a alugar por possuir características únicas. Ele é difícil, possui gráficos bem infantis, exige muita paciência para ser finalizado e é protagonizado por crianças em um mundo supostamente real, e não por cavaleiros em suas armaduras reluzentes atrás da glória eterna ou princesas rebeldes em busca de aventura. Estamos falando de Earthbound, também conhecido como Mother 2 no Japão.

É fã de JRPGs? Então está na hora de conferir um pouco sobre uma das melhores aventuras já lançadas para o SNES.

Salvando o mundo dos ETs

Alguns anos após os acontecimentos de Mother, o Made In Japan para o Famicom que deu o pontapé inicial para a série, o jovem Ness resolve investigar a queda de um meteorito perto de sua casa. Para sua infelicidade, ele descobre que a Terra está sob uma forte influência alienígena. Grande parte dos animais, humanos e objetos estão fora de controle. Para salvar o mundo das garras dos terríveis extraterrestres conhecidos como Gyigas, o protagonista mirim embarcará em uma longa jornada onde se unirá a outros heróis em perigosas aventuras ao redor do mundo (ou das cidades vizinhas pelo menos).

No início de sua jornada, Ness é aconselhado por um inseto denominado Buzz-Buzz a coletar melodias com sua recém-adquirida Pedra do Som. Infelizmente, o conselheiro artrópode não o acompanhará nessa jornada por motivos um tanto bizarros: a mãe de um de seus amigos dá-lhe um tapa e põe fim à sua curta vida de poucos meses. Bom, pelo menos esse é o tempo estimado de vida de uma mosca terráquea, será que insetos alienígenas vivem mais?

Os personagens

Conheça um pouco sobre os personagens principais desta aventura um tanto bizarra:

  • Ness – protagonizando a série, é um rapaz jovem de 13 anos que vive na cidade de Onett. Após o incidente com o meteoro, o mundo o chama para se juntar à Paula, Jeff e Poo e livrar o mundo da influência extraterrestre. Suas principais armas são os bastões de baseball, além da capacidade de usar poderes psíquicos para atacar ou curar seus amigos.
  • Paula Polestar – uma jovem de treze anos famosa na cidade de Twoson, onde trabalha em uma escola dirigida por seus pais. No jogo, ela é raptada e mantida em cativeiro na vila Happy Happy, necessitando da ajuda de Ness para se libertar. Seus poderes psíquicos são sua melhor característica em batalha.
  • Jeff Andonuts – conhece algum nerd de verdade que não sabe lutar, é extremamente tímido, não conversa com ninguém e possui uma inteligência fora do comum? É a perfeita descrição de Jeff. Este é um jovem que estuda na escola Snow Wood Boarding e se une ao grupo após receber um pedido de socorro telepático enviado por Paula. Ele é o personagem mais fraco de Earthbound, mas pode ser extremamente útil com sua inteligência para consertar objetos que serão utilizados em alguma parte do jogo. Até os nerds gostam de uma boa aventura!!!
  • Poo – um jovem príncipe oriental natural do reino de Dalaam. Possui conhecimento amplo em artes marciais e através de seu intenso treinamento é capaz de usar uma gama de habilidades psíquicas que o ajudará a completar sua jornada com tranquilidade. Não dê comida ocidental para este personagem, pois seus efeitos serão drasticamente reduzidos (e consequentemente você estará gastando a valiosa mesada de Ness à toa).

Um JRPG diferente de tudo que você já viu

Earthbound possui algumas características que dificilmente são vistas em RPGs antigos, como o conceito de encostar no inimigo para iniciar uma batalha ao invés de encontros randômicos. É uma vantagem e tanto quando estamos viajando de uma cidade para outra e não temos paciência para ficar matando todos os inimigos que aparecem pelo caminho.

Os personagens possuem o mesmo sistema de recebimento de pontos de experiência ao derrotar algum monstro. Entretanto, você notará que não recebe dinheiro algum após uma batalha.

Se não recebemos dinheiro, como vamos comprar os itens necessários durante o jogo? Bom, digamos que o pai de Ness é muito generoso e lhe manda uma gorda mesada. Caso seus bolsos estejam vazios, é só ir ao caixa eletrônico para sacar uma bela quantia depositada em sua conta pelo papai (que vida boa!).

Para acertar os inimigos e arrancar seus pontos de vida, nada de espadas, adagas ou lanças. Em Earthbound, as armas utilizadas são bastões de baseball, estilingues, frigideiras e tudo o que puder ser arremessado contra as criaturas travestidas de inimigos.

Prestando atenção aos gráficos do jogo, você perceberá que Earthbound também possui uma característica única (ou pelo menos difícil de ser encontrada): o uso de projeção oblíqua ao invés do clássico 2D isométrico. Grande parte dos objetos gráficos são projetados em uma perspectiva de 45º, enquanto a maioria dos jogos faz essa rotação com a câmera para dar a impressão que o cenário está em 3D. 

Bônus – referência

Todos adoramos uma boa referência durante o jogo, certo? Sabia que, segundo os policiais de Earthbound, crianças deveriam jogar os títulos da Nintendo?

Tudo bem. Já que os policiais recomendam, serei um bom cidadão e obedecerei!

Não subestime o simples

Lançado em 27 de agosto de 1994 no Japão e em 5 de junho de 1995 nos Estados Unidos, Earthbound é um jogo de imensa simplicidade em todos os quesitos. Os gráficos possuem traços simples, embora sejam extremamente ricos em cores; a trilha sonora não possui faixas de áudio que são capazes de deixar o jogador boquiaberto, mas que se encaixam perfeitamente em todas as situações encontradas durante o gameplay; e o enredo não possui aquela história cativante que esperamos encontrar em um JRPG, cheio de ensinamentos que levaremos para a vida que farão até mesmo os véios mais resistentes darem aquela desculpa:

– Tem alguém cortando cebola por aqui!

Quando chegou aos Estados Unidos, Earthbound recebeu muitas críticas e vendeu cerca de apenas 140 mil cópias. Com o tempo, foi recebendo uma maior aceitação e todas as avaliações foram tomando formas positivas, principalmente pela originalidade e forte presença de humor durante o gameplay, provando que são os ingredientes mais simples que dão origem às melhores receitas.

No conjunto da obra, Earthbound é um título de SNES incrível que merece ser jogado por todos ao menos uma vez na vida. Que tal experimentá-lo agora mesmo? O Véio recomenda!

Comente aí sua opinião sobre o jogo.

Vídeo

Earthbound – Gameplay (Fonte: Mutch Games)

Dica

Fugindo de batalhas indesejadas.

Não está a fim de lutar ou está com baixo HP e aquele inimigo forte está bloqueando o caminho? Basta voltar um pouco até que o inimigo não seja mais visualizado pela câmera e depois avançar novamente. Os inimigos são posicionados aleatoriamente pelo cenário, então pode ser que ele suma do seu caminho com isso. Pode ocorrer o contrário também: aparecer mais inimigos. Mas basta repetir o truque até que o caminho esteja livre.

Para saber mais sobre projeções gráficas como as mencionadas ao longo do texto, deixe seu comentário aqui que o time de Game Design do Jogo Véio responde suas dúvidas. Precisamos do seu feedback, caro véio.

Compartilhe com a galera:

FacebookTwitterGoogle+

Leia mais sobre: , , , ,


Leia a Revista Jogo Véio

Revista Jogo Véio - Gratuita, pra ler no PC, no Tablet e no Smartphone

Junte-se ao Asilo